Adutora clandestina é descoberta em fazenda no município de Belo Campo

19 Set 2020 - 06:25h

Uma tubulação clandestina, com capacidade de desviar até 1.800 metros cúbicos de água por dia, foi descoberta em uma fazenda em Belo Campo, cidade do sudoeste da Bahia. Segundo a gerência regional da Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa), o dono da localidade vai ser denunciado. “O procedimento da Embasa é notificar o empresário e judicializar esse furto que foi feito”, disse Joselito Pires, gerente regional da Embasa ao G1. A situação foi descoberta após a empresa notar a diferença no abastecimento de água em Belo Campo. Entre elas, a Embasa pontuou que sempre que uma obra na rede de água precisava ser realizada, a situação demorava muito para ser normalizada na cidade. O empresário usava uma ligação clandestina para render água. A tubulação pirata era de aço, com 50 milímetros. Já a da Embasa é de 300 mm. Segundo a empresa, em um mês, os cálculos apontam que a adutora tenha desviado 1.800 milhão de metros cúbicos. Essa quantidade dava para abastecer 9 mil residências, consumindo em taxa mínima, durante um mês. “Além de causar falta d'água para população, causa um prejuízo financeiro para a Embasa. Além do mais, toda perda e furto de água faz com que toda a tarifa de água aumente para toda a população do estado. A tarifa é igual para todas as cidades. Na composição do valor da conta de água, entra toda a água produzida, e não apenas a cobrada para a população”, concluiu Joselito Pires.

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixar comentário

Comentário

mais notícias