Governador classificou a insistência ao retorno das aulas presenciais na Bahia como insensibilidade com a vida

24 Set 2020 - 07:00h

O governador Rui Costa (PT) lamentou e demonstrou perplexidade com a pressão de alguns setores para retomada das aulas presenciais na Bahia. Ele ressaltou que é preciso considerar as taxas de contaminação e mortes pelo novo coronavírus no Estado. “As pessoas perderam qualquer referência de solidariedade e de fraternidade com a vida humana. A doença não foi embora, não tem vacina. Não podemos acelerar, sob pena de aumentarmos o número de mortes. Os números são ainda muito altos no Brasil e na Bahia”, disse. A declaração foi feita durante coletiva de imprensa na agenda de entrega de mais uma encosta em Salvador, na manhã desta quarta-feira (23). Costa não soube explicar o que está acontecendo com a postura dos brasileiros diante da pandemia. “Um colégio acharia normal que morresse todo dia uma sala de aula de aluno? Esse colégio funcionaria normalmente se isso acontecesse? Não podemos colocar em risco vidas humanas. Não há a menor hipótese de cogitar o retorno às aulas presenciais nesse momento. Não quero ser responsável pelas mortes de alunos e professores”, declarou, perplexo com o grau de insensibilidade com a vida humana e de amor ao próximo que as pessoas têm revelado.

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixar comentário

Comentário

mais notícias