Brumado: Por conta da pandemia, acarajé chega à delegacia sem a baiana Dona Dete

31 Dez 2020 - 00:00h

A pandemia do coronavírus alterou uma tradição de mais de 30 anos promovida pela baiana do Acarajé Dona Dete na cidade de Brumado. Durante todos esses anos, sempre na última quarta-feira de cada ano, a baiana comparece pessoalmente à delegacia local para levar os seus deliciosos quitutes para os servidores e detentos. Segundo apurou o site Achei Sudoeste, no entanto, neste ano, a tradição foi alterada, pois, por ser do grupo de risco, a idosa não pode comparecer na unidade, mas enviou seus acarajés como de costume. Outra alteração foi a antecipação do dia, uma vez que os detentos foram transferidos na manhã desta quarta-feira para o presídio de Vitória da Conquista. Assim, Dona Dete se viu obrigada a enviar as guloseimas na tarde de terça-feira.

“Não foi como nos outros anos, mas ao menos conseguimos manter a tradição. Gosto de levar pessoalmente os acarajés para através disso ter a oportunidade de falar com os detentos e tentar passar pra eles uma palavra em busca de sua consciência para que deixem de lado as práticas à margem da lei e possam ser reintegrados à sociedade. Não é apenas uma promessa, é uma minha maneira de tentar ajudar a polícia e a justiça em geral nessa busca de ressocializar essas pessoas. O momento nos forçou a nos adaptar, mas para o ano tenho fé que faremos as coisas no modo tradicional”, disse. 

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.


Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Achei Sudoeste. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

Deixar comentário

Comentário

mais notícias