Fake news na eleição pode tornar Bolsonaro inelegível

24 Jun 2021 - 11:30h

Os ataques do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) à credibilidade do processo eleitoral no Brasil podem lhe custar a ilegibilidade em 2022, caso o mandatário não apresente as provas que diz ter sobre uma suposta fraude no sistema eletrônico de votações de 2018. O corregedor do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Felipe Salomão, já deu um prazo de 15 dias para que Bolsonaro apresente as provas. Bolsonaro defende o voto impresso sob o argumento de que o sistema de votação por urnas eletrônicas permite fraude.  De acordo com reportagem do jornal Folha de S. Paulo, integrantes de cortes superiores consideram “mentirosas e irresponsáveis” as falas do presidente, entre elas, a de teria sido vítima de fraudes que o impediram de ganhar no primeiro turno em 2018, o que, para magistrados, estaria disseminando fake news porque o sistema é considerado um dos mais seguros do mundo. Membros das cortes superiores defendem colocar travas nesse comportamento de Bolsonaro e mandar um recado de que existem limites, ou Bolsonaro poderá enfrentar problemas com a Justiça, entre eles ficar impedido de disputar as eleições ano que vem. Ministros já defendiam que as informações falsas espalhadas em grupos bolsonaristas sobre fraudes nas eleições começassem a ser investigadas no inquérito das fake news, comandado pelo ministro Alexandre de Moraes. Moraes será o próximo presidente do TSE e já pediu o compartilhamento de informações sobre empresas que trabalharam na campanha de Bolsonaro há dois anos e que teriam disparado mensagens falsas nas redes sociais.

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.


Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Achei Sudoeste. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

Deixar comentário

Comentário

mais notícias