Brumado: Ambulantes cobram organização da administração com a venda de fogos

23 Jun 2022 - 00:00h

Todos os anos nessa época de São João, acontece tradicionalmente nos fundos do Mercado Municipal de Artes, em Brumado, uma feirinha para venda de fogos de artifício. Vendedor no local há mais de 30 anos, Robson Santos pagou, por seis dias, um alvará de cerca de R$ 160. Em entrevista ao site Achei Sudoeste, ele comentou sobre o decreto da prefeitura que proibiu a venda de fogos na região do Mercado Municipal, ao lado da Feira Livre (veja aqui). “Tem 17 anos que eu brigo só nessa administração para uma regulamentação e um local adequado de venda de fogos em Brumado. Sou terminantemente contra aquelas lonas lá na feira jogadas no chão, próximas de churrasqueiras acesas. Sou contra a venda de fogos de artifício em supermercados e padarias. Aqui só falta achar fogos em farmácias”, declarou. O ambulante ainda cobrou uma fiscalização mais atuante da Vigilância Sanitária nesse sentido, bem como o oferecimento, por parte do Poder Público, de um curso de capacitação de segurança para os vendedores do segmento. “Já procurei o Crea, a Infraestrutura e toda vez bati com a cara na porta. Fui indo, indo até que desanimei. O que custa se reunir com a gente e determinar uma área adequada para venda de fogos, além de proibir toda e qualquer venda de fogos de artifício em supermercados, padarias e quitandas? Está faltando compromisso”, completou.

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.


Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Achei Sudoeste. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

Deixar comentário

Comentário

mais notícias