Retomada da extração do urânio em Caetité promete gerar emprego e renda

09 Out 2019 - 17:00h

Na região de Caetité, a 100 km de Brumado, há reservas de urânio estimadas em 100 mil toneladas e parte da população se preocupa com a extração. Segundo Allan Fernandes Pereira Ribeiro, de 23 anos, estudante de engenharia civil, existem muitas pessoas com câncer, inclusive da sua família. De acordo com a Folha de São Paulo, para ele, a situação é reflexo do contato direto com a água contaminada e com alimentos produzidos na cidade. Já a geóloga Alane Iasmin Cordara da Silva, de 24 anos, afirmou que a extração não é um risco. “A formação rochosa da base da cidade é possível ser vista também na superfície. O contato com urânio acaba sendo inevitável e, mesmo que a INB termine sua operação, a incidência de câncer será expressiva. Infelizmente a culpa é da natureza mesmo”, asseverou. O governo federal pretende retomar a mineração de urânio na cidade em 2020. Com o início da produção da mina do Engenho, a INB espera que o número de funcionários aumente. “A retomada da produção em Caetité irá dinamizar a economia local através da geração de emprego, de renda e do recolhimento de impostos. Para o país, significará uma redução do valor gasto com a importação de urânio”, destacou a geóloga.

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixar comentário

Comentário

mais notícias